O relato de hoje é para você, que sonha em fazer um intercâmbio de idioma mas não tem disponibilidade de tempo e até financeira para ficar meses em outro país. Que tal puxar assunto com aquele parente distante que vive no exterior?Quem sabe não é uma oportunidade de fortalecer os laços familiares, conhecer um novo país e até economizar com hospedagem. (=

Pois é isso que o nosso entrevistado de hoje, o brasileiro Gabriel Ortega Gondim,  vai contar um pouco pra gente de como foi sua experiência de intercâmbio de 45 dias em Berna, na Suíça. Um país incrível e com certeza não é o primeiro que passa pela sua cabeça quando você pensa em intercâmbio, mas você vai se surpreender, segue só o relato:

  • Fale um pouco sobre você.

Me chamo Gabriel, tenho 20 anos e atualmente estudo engenharia química. Adoro viajar sem gastar muito, principalmente na Europa, onde tem tantas histórias nos lugares antigos e maravilhosos para se conhecer. Gosto de conhecer pessoas e culturas novas.

  • Por que decidiu fazer intercâmbio? E quais meios utilizou para realizar esse sonho?

Sempre tive o sonho de viajar para outro país, melhor ainda se fosse fazendo intercâmbio porque queria usar e treinar o inglês que aprendi por alguns anos. Eu tive apoio dos meus pais e da minha família para realizar esse sonho.

  • Por que você escolheu a Suíça?

Escolhi a Suíça porque meu tio mora lá com a sua família, então pensei que além do inglês, poderia conhecer uma língua nova: o alemão. Eu não conhecia a família do meu tio muito bem, então isso também foi muito legal para poder conhecê-los melhor.

  • O que você já esperava e o que te surpreendeu da cultura local?

          Esperava que ia ter muito queijo e chocolate, e tem mesmo. Mas eu esperava que o alemão que eles falam ia ser um pouco diferente, como um sotaque específico, mas na verdade, a suíça tem 4 línguas oficiais: alemão, francês , italiano e romanche. Então, na região que eu estava falavam a língua alemã oficialmente, mas a língua alemã tem vários dialetos. Na suíça, tem o dialeto alemão suíço, e em Berna tem o seu próprio dialeto. Dizem que na escola eles aprendem e usam o alemão oficial, e em ocasiões formais de trabalho também. Mas na rua, por exemplo, para você falar “muito obrigado” no alemão oficial é “danke schön”, enquanto no alemão de Berna é “merci vielmal”, misturando o francês: merci= obrigado, e alemão: vielmal= muitos. O estilo de vida das pessoas também me surpreendeu, parece que eles são mais “livres” e preferem ter conforto do que luxo.

          Também descobri que a maioria dos homens suíços têm que se alistar no exército e toda casa é obrigada a ter um abrigo antibombas no porão, e também tem embaixo de algumas praças.

  • Por que você escolheu essa cidade? 

    Rua principal do centro de Berna.

Fiquei na casa do meu tio que mora em Hindelbank, uma vila de 2 mil habitantes no interior no cantão de Berna (cantão é como estados do Brasil), um lugar tranquilo onde tem floresta, pasto e campos de plantação por perto, mas fica apenas há 15 minutos de trem do centro de Berna.

Berna é a capital da Suíça, o centro é super antigo porém muito charmoso com estilo medieval que até parece de mentira, onde fica o parlamento do governo, muitas lojas e restaurantes. Nas ruas onde passam apenas trams (bondes), tem várias fontes  com estátuas decorativas e com água potável. O zytglogge (a torre do relógio), que foi construída no século 13, é na mesma rua que fica a escola onde estudei alemão, a Migrosklubschule. O curso de alemão nível básico (A1) era intensivo, de segunda à sexta das 8h as 11h por 1 mês na escola Migrosklubschule.

 

 

 

  • Quais lugares você conheceu na Suíça? E qual você mais gostou?

Berna, Thun, Interlaken, Freiburg, Piz gloria, Zurique , Lucerna, Lausanne, Montreux, Biell, Gruyeré. Parece que adoro todas, mas Thun é muito charmosa na beira de um lago no meio dos Alpes.

Thun vista do castelo

  • Você achou a Suíça um lugar barato para intercâmbio? 

Não, a suíça é um dos lugares mais caros da Europa para quem vem de fora, porque quem mora lá ganha muito bem. Porém as passagens de trem são muito caras comparadas aos países vizinhos. E também a alimentação pode custar caro.

  • De quanto aproximadamente foi o investimento no intercâmbio? (Comida, viagens, compras, hospedagem, etc.)

Curso intensivo de alemão A1 de 1 mês, com material incluso: 600 francos.

Para 45 dias acho que gastei mais ou menos 1500 francos, passeando muito, mas não gastei nada em hospedagem.

  • Fale alguns pontos positivos e negativos da Suíça em relação ao seu país de origem.

Positivos: Cidades são perfeitas em questão de organização, limpeza, infraestrutura, e é um lugar muito seguro.

Negativo: o frio pode atrapalhar um pouco para quem não gosta, e algumas coisas são muito caras.

  • O que você acha que a Suíça tem em comum com o Brasil?

Essa é difícil, mas acho que os dois países tem uma beleza natural de paisagens maravilhosas, porém as paisagens são bem distintas em cada país.

  • Quais idiomas você fala? Você teve dificuldades em se comunicar no idioma local?

Inglês fluente, um pouco de espanhol. Eu estava aprendendo o alemão formal, então não me sentia confortável de falar com estranhos em alemão, porque eles falam alemão do dialeto de Berna, mas quando entendia conversava de volta e também em casa tentava treinar o alemão com as minhas primas. Aprendi muita coisa só de ouvir as pessoas falando na rua ou em casa.

  • Foi difícil fazer amigos?

Não, fiz amigos no curso de várias nacionalidades, também com os amigos da família. Até fiz amigo conversando com pessoas no parque.

  • Você voltaria para a Suíça?

Claro!

  • Qual dica você daria se um amigo seu viesse para a Suíça?

Tenta aprender mais sobre os trams e trens porque é complicado, nunca ande sem seu ticket e se precisar, do seu documento com foto. Vá preparado porque algumas coisas são caras, mas tem muita coisa que você vai querer comprar mesmo assim.